Etiqueta: anaantunes

“Médicos do Mundo”

Por Ana Antunes

Este projecto surge de uma forma diferente dos outros. A Leroy Merlin, em resposta a uma situação de pandemia global, criou a Operação Retribuir, um projeto que promove a acção de solidariedade e que visa em simultâneo agradecer aos colaboradores e aos profissionais de saúde. Contudo, quiseram ir mais longe e estar ao lado de uma associação cujo trabalho incidisse sobre a prevenção e apoio à saúde. A escolha da Associação Médicos do Mundo, uma Organização Não-Governamental de ajuda humanitária e de cooperação para o desenvolvimento, recaiu sobre o enorme impacto do seu trabalho.

Neste espaço vão trabalhar 14 pessoas e, Ana Antunes a nossa decoradora, achou essencial para o projecto criar zonas com uma dinâmica e orientação diferentes. O facto do pavimento da zona da entrada e da copa ser diferente do resto do espaço acaba por, apesar de ser um espaço amplo e aberto, criar a diferenciação de zonamentos.

A base de inspiração para o projecto deste espaço foram os cowork, uma tendência actual de espaços de trabalho. O coworking é um movimento que promove o trabalho em conjunto e aqui fazia todo o sentido aplicar este termo no projecto. O espeço foi dividido em zona de entrada, copa e zona de refeições, uma sala de trabalho geral, uma sala de reuniões e um gabinete da direcção.

Em termos de materiais e decoração os escritórios de cowork são sempre espaços onde a mistura de materiais mais orgânicos ou no seu estado natural como a madeira, o cimento, materiais reciclados e o ferro ou os metais convivem numa necessidade de contraste com elementos que trazem a natureza para dentro do espaço e por isso estes espaços têm sempre muitas plantas.

Embora não seja num estilo demasiado marcado alguns apontamentos no espaço têm uma abordagem mais industrial.

Na sala de reuniões implementou-se um ambiente um pouco mais sério e formal com uma parede de fundo de impacto com o elemento de destaque iluminado sobre a mesma.

A entrada deste espaço era uma zona muito importante e criou-se duas paredes com impacto, uma do lado direita onde temos um jardim vertical e alinhado em frente temos um painel de contraplacado marítimo com o mapa-múndi onde tem a frase que é o lema dos Médicos do Mundo.

Neste espaço surge uma copa com todas as funcionalidades necessárias. O preto encaixa neste contexto contemporâneo e é complementado com o papel de parede que surge inesperadamente e que nos transporta imediatamente para outro ambiente; os verdes e as plantas são uma característica nos espaços de cowork que ajudam a reduzir os níveis de stress e ansiedade.

Divisórias visuais surgem no espaço como elementos imponentes que nos ajudam, no caso da copa a definir um prolongamento da mesma, e na zona de trabalho como painel divisório.

“Refúgio Colonial”

Por Ana Antunes

O ano de 2020 está a ser, como bem sabemos, uma adaptação para todos a uma nova realidade, e um dos grupos que mais tem sido afectado com esta situação é a população idosa. A Casa de Repouso Varandas da Malveira é um lar e o QUERIDO quis dar o seu contributo homenageando os idosos do nosso país.

A candidatura foi enviada pela Sandrina Queiroz, uma das animadoras do lar. Depois de diversas tentativas pedia-nos “um espaço minimalista e que o ambiente transmitisse paz, tranquilidade e boas energias”. O teto de garagem que tinha saltou-nos logo à vista e pareceu-nos o mais urgente, era fundamental fazer um teto falso e isolar bem o espaço. O isolamento passava também por mudar o grande vão de janelas que o espaço apresenta.

Este espaço, que no fim se torna clean e luminoso, é inspirado num ‘Refúgio Colonial’. O estilo colonial encontra-se na fusão do estilo clássico com o contemporâneo, numa versão exótica que nos transporta para as casas antigas do século XIX e oferece ao utentes uma nostalgia de outros tempos. Os elementos característicos deste estilo são o mobiliário em palhinha, os móveis artesanais europeus com madeiras exóticas e as ventoinhas, elementos que vimos presentes na decoração que Ana Antunes aqui cria.

De forma a ligar todos estes elementos e a dar vida ao espaço, Ana Antunes incluiu no projecto molduras que criam ilusão de quadros gigantes. No seu interior o papel de parede a preto e branco remonta o exotismo deste estilo colonial sem retirar o protagonismo ao verde da paisagem envolvente.

” A decoração não é característica de nenhuma idade, até porque aqui a idade não importa quando ainda há muitos sonhos”, diz-nos a candidata depois de ver o resultado final.

” Dois espaços, uma divisão”

Neste programa falamos uma vez mais de duas divisões. A cozinha era bastante antiga, com cerca de 50 anos, em muito mau estado e temos também a sala ainda que mais recente com bastante ausência de decoração, o que se traduzia num espaço frio e pouco ou nada acolhedor.
Paralelamente à cozinha, existia também uma zona de refeições que não foi desconsiderada neste projecto.
Foi necessária a intervenção nestas três áreas, de modo que as mesmas se complementassem entre si.
O preto e branco foi a base utilizada e alguns elementos do estilo contemporâneo.
A utilização dois dois sofás é justificada pelo facto de os candidatos puderem estar em ambos os espaços e continuarem a conviver entre si, tirando proveito da ligação que os espaços têm.
O painel de parede na sala remete para a ideia de natureza, sendo que nesta sala não existiam janelas.

ANTES

DEPOIS

CATÁLOGO

RESULTADO FINAL

“Sala Moderno-Chique”

A candidata pediu-nos um estilo moderno-chique, e foi esse o ponto de partida. O espelhado na lareira remete para um estilo mais chique. O desafio foi sem dúvida contrabalançar estes dois estilos.
Foi criada uma sala com tons monocromáticos, coexistindo assim harmonia no espaço e nos materiais utilizados.
O layout da sala foi mantido, tendo em consideração o espaço reduzido da divisão e o elemento fixo que já existia, a lareira.
O escritório foi uma extensão da sala e complementa e enquadra-se com a restante divisão.

ANTES

DEPOIS

CATÁLOGO

RESULTADO FINAL

“O Mar em Nossa Casa”

SALA / COZINHA

O ponto de partida para estas duas divisões, mas que são apenas um só, era modernizar.
Sendo esta uma casa com plano de fundo, o mar, esta divisão é entendida como o cruzeiro, que permite fazer a ligação com o exterior.
Esta renovação permite aos candidatos serem transportados para as típicas casas de praia, acrescentando o estilo clássico.
O branco, cor predominante, permitiu que o azul de fundo sobressaísse e fosse o elemento de destaque.
A cozinha acompanha o resto da divisão, em elementos como o espinhado do papel de parede que está presente nos azulejos.

ANTES

DEPOIS

CATÁLOGO

RESULTADO FINAL