Etiqueta: anaantunes

“Para uma família XL”

Por Ana Antunes

Maria Marques, a mais velha de 10 irmãos com idades compreendidas entre os 8 e os 27 anos, candidatou-se ao Querido para surpreender os pais, pois a prioridade deles sempre foi a família e não os bem materiais. Esta sala é onde a família se reúne aos fins-de-semana para almoços e jantares, para passarem tempo juntos, como tal era necessário dar um espaço de qualidade onde pudessem conviver.

Esta sala é um espaço amplo mas cheio de dificuldades e foi preciso uma reorganização do espaço. Aqui foi importante criar zonas que conseguissem albergar toda a família, tanto na zona de estar como na zona de refeições, e acima de tudo, criar uma sala prática com o essencial.

A divisão tinha um elemento estranho, um palco de madeira que limita o espaço, criava obstáculos e estava em mau estado. No projeto inicial para ser removido na totalidade mas durante a obra descobriu-se um maciço de betão por baixo da madeira, o que impediu a demolição com tão pouco tempo de obra, por isso retirou se só uma parte de forma a ganhar espaço para o mobiliário.

Retirar um pouco deste ar de casa de campo e torná-la um pouco mais contemporânea foi uma das grandes premissas de Ana Antunes para este projeto. No entanto os pais são têm um estilo mais clássico, por isso houve uma simbiose dos dois estilos.

Nichos junto à lareira são foram reduzidos e a lareira passou a ser ladeada de pedra; nos nichos que ficaram descobertos foram pintados de cinza e os fundos revestidos a espelho. Tudo isto tornou esta parede de destaque mais moderna mas com apontamentos clássicos, como a iluminação.

Uma parte do teto era de madeira escura e para abrir o espaço visualmente, foi pintado de branco. Na zona de jantar foi aplicado um tom azul pastel e um cinza muito claro na zona de estar. O azul e o cinzento são dois tons que se enquadram tão bem no clássico como no contemporâneo, foram cores que encaixaram nesta divisão na perfeição.

Mãos-à-Obra – “A preto e branco”

Por Ana Antunes

Para reforçar verticalidade à parede da cabeceira da cama, Ana Antunes, revestiu com peças brancas de PVC e frisos pretos.

  • Tirar as medidas da parede
  • Cortar as peças à medida
  • Colar as peças à parede

https://www.leroymerlin.pt/?gclid=CjwKCAjwzt6LBhBeEiwAbPGOgUuvc9gIVomYVmwIqbgM-1MHvGPcodaI4hTaF-Xm7HwpbKIUB-IaghoC9GkQAvD_BwE

“A preto e branco”

Por Ana Antunes

Joana e Daniel, os candidatos deste episódio, concorreram ao Querido porque vivam numa casa em obras com uma bebe que nasceu durante a pandemia. Há 3 anos compraram esta habitação que se encontrava praticamente em ruínas, o Daniel idealizou a moradia e propôs-se a reconstrui-la, no entanto chegaram a um ponto de saturação que decidiram pedir-nos ajuda para esta obra inacabada, e candidataram-se com o quarto da Matilde como prioridade. Não pudemos deixar de fazer a surpresa de renovar também o quarto deste casal. A primeira fase da nossa obra tinha que começar claro por preparar paredes e tetos que se encontravam em gesso cartonado. 

O quarto do casal é inspirado num quarto de hotel onde a casa de banho e o quarto convivem harmoniosamente. Os elementos interligam-se entre os dois espaços, por isso o revestimento cerâmico teve aqui um papel muito importante, as peças cerâmicas que revestem a casa de banho entram pelo quarto num apontamento junto à cama.

Sendo um quarto, a zona da cama deve ter sempre um destaque maior, é o que acontece com esta cabeceira idealizada por Ana Antunes. Foi criado um painel avançado para criar proximidade e destaque, num padrão riscado a preto e branco, para reforçar a verticalidade por termos um pé direito baixo. Os nichos foram revestidos com um papel de parede preto texturado; e os painéis de vidro canelado fazem de biombo para resguardar um pouco a vista para a banheira que está à entrada (suportado com painéis pretos de madeira).

É um espaço neutro a nível de cor, já contem o orgânico das manchas do cerâmico, um papel de parede texturado e o contraste do branco e do preto, portanto, há vários pontos que introduzem vida sem introduzirem cor. Tudo isto é conjugado com o quente da madeira.

O quarto não foi só pensado para a Matilde mas também para a irmã que de vez em quando está com eles. Este espaço foi pensado para ser intemporal e acompanhar por muitos anos o crescimento da bebé. O quarto foi literalmente todo embrulhado em papel de parede, um com uns desenhos a preto quase como se fosse desenhado a carvão e o outro em baixo, texturado como se fosse uma palhinha que dá conforto. Tal como no quartos dos pais, o preto e o branco predominam e há uma ausência de cores fortes.

“Natural sofisticado”

Por Ana Antunes

Por trás de cada remodelação e de cada casa há uma história de uma família. Maurício, candidatou-se ao ‘Querido’ para trazer mais alguma felicidade aos pais. Há uns anos o seu pai, Carlos, teve um AVC que lhe trouxe uma incapacidade de mais de 90%, e é a mãe, Cecília, que diariamente toma conta do marido e de todas as tarefas. O desejo de Maurício era que transformássemos a sala de forma a criar um espaço onde o casal possa estar, a fim de facilitar a logística à mãe que toma conta do pai.

Desde logo, Ana Antunes, percebeu que era um sala com potencial e com dimensões consideráveis, e que o essencial era potencializar um espaço que os dois conseguissem usufruir; mais do que realizar um sonho era importante melhorar as condições diárias da vida deste casal. Claro que o projeto tinha que passar por unir a sala à pequena cozinha que tinha dimensões de um corredor. Assim , Cecília que tinha como profissão ser cozinheira e que ainda gosta de aprimorar na sua arte pode ter o marido por perto, na sala.

As paredes da sala eram de uma textura agressiva e para se solucionar esse problema colocou-se gesso cartonado a toda a volta que, depois do primário, foi pintado de branco. Envolver estas divisões em branco era fundamental para dar destaque às texturas da decoração e ao verde que sai da janela do jardim de inverno. Este espaço é dedicado a um casal que já não é jovem e que tem uma casa de campo na cidade, e foi essa a ideia traduzida na decoração; um pouco de campo com os materiais naturais (madeira, palhinha, ratan) e de cidade com as linhas contemporâneas da cozinha, de forma a criar um natural sofisticado.

Na cozinha, um revestimento porcelânico branco texturado de folhagens passou a cobrir as paredes, e o chão dos dois espaços foi revestido com um pavimento cerâmico que imita a madeira. Como foi colocado cerâmico sobre o antigo azulejo teve de ser usada uma cola especifica, assim não foi necessário retirar o antigo. Na continuidade do conceito decorativo da sala as portas de cima dos armários são brancas e as de baixo em madeira e a decoração conta com apontamentos pretos.

“Médicos do Mundo”

Por Ana Antunes

Este projecto surge de uma forma diferente dos outros. A LEROY MERLIN, em resposta a uma situação de pandemia global, criou a Operação Retribuir, um projeto que promove a acção de solidariedade e que visa em simultâneo agradecer aos colaboradores e aos profissionais de saúde. Contudo, quiseram ir mais longe e estar ao lado de uma associação cujo trabalho incidisse sobre a prevenção e apoio à saúde. A escolha da Associação Médicos do Mundo, uma Organização Não-Governamental de ajuda humanitária e de cooperação para o desenvolvimento, recaiu sobre o enorme impacto do seu trabalho.

Neste espaço vão trabalhar 14 pessoas e, Ana Antunes a nossa decoradora, achou essencial para o projecto criar zonas com uma dinâmica e orientação diferentes. O facto do pavimento da zona da entrada e da copa ser diferente do resto do espaço acaba por, apesar de ser um espaço amplo e aberto, criar a diferenciação de zonas.

A base de inspiração para o projecto deste espaço foram os co-work, uma tendência actual de espaços de trabalho. O co-working é um movimento que promove o trabalho em conjunto e aqui fazia todo o sentido aplicar este termo no projecto. O espaço foi dividido em zona de entrada, copa e zona de refeições, uma sala de trabalho geral, uma sala de reuniões e um gabinete da direcção.

Em termos de materiais e decoração os escritórios de co-work são sempre espaços onde a mistura de materiais mais orgânicos ou no seu estado natural como a madeira, o cimento, materiais reciclados e o ferro ou os metais convivem numa necessidade de contraste com elementos que trazem a natureza para dentro do espaço e por isso estes espaços têm sempre muitas plantas.

Embora não seja num estilo demasiado marcado alguns apontamentos no espaço têm uma abordagem mais industrial.

Na sala de reuniões implementou-se um ambiente um pouco mais sério e formal com uma parede de fundo de impacto com o elemento de destaque iluminado sobre a mesma.

A entrada deste espaço era uma zona muito importante e criou-se duas paredes com impacto, uma do lado direita onde temos um jardim vertical e alinhado em frente temos um painel de contraplacado marítimo com o mapa-múndi onde tem a frase que é o lema dos Médicos do Mundo.

Neste espaço surge uma copa com todas as funcionalidades necessárias. O preto encaixa neste contexto contemporâneo e é complementado com o papel de parede que surge inesperadamente e que nos transporta imediatamente para outro ambiente; os verdes e as plantas são uma característica nos espaços de cowork que ajudam a reduzir os níveis de stress e ansiedade.

Divisórias visuais surgem no espaço como elementos imponentes que nos ajudam, no caso da copa a definir um prolongamento da mesma, e na zona de trabalho como painel divisório.

” Dois espaços, uma divisão”

Neste programa falamos uma vez mais de duas divisões. A cozinha era bastante antiga, com cerca de 50 anos, em muito mau estado e temos também a sala ainda que mais recente com bastante ausência de decoração, o que se traduzia num espaço frio e pouco ou nada acolhedor.
Paralelamente à cozinha, existia também uma zona de refeições que não foi desconsiderada neste projecto.
Foi necessária a intervenção nestas três áreas, de modo que as mesmas se complementassem entre si.
O preto e branco foi a base utilizada e alguns elementos do estilo contemporâneo.
A utilização dois dois sofás é justificada pelo facto de os candidatos puderem estar em ambos os espaços e continuarem a conviver entre si, tirando proveito da ligação que os espaços têm.
O painel de parede na sala remete para a ideia de natureza, sendo que nesta sala não existiam janelas.

ANTES

DEPOIS

CATÁLOGO

RESULTADO FINAL