Categoria: SALAS

ANTES E DEPOIS – “Para uma família XL”

Por Ana Antunes

“Para uma família XL”

Por Ana Antunes

Maria Marques, a mais velha de 10 irmãos com idades compreendidas entre os 8 e os 27 anos, candidatou-se ao Querido para surpreender os pais, pois a prioridade deles sempre foi a família e não os bem materiais. Esta sala é onde a família se reúne aos fins-de-semana para almoços e jantares, para passarem tempo juntos, como tal era necessário dar um espaço de qualidade onde pudessem conviver.

Esta sala é um espaço amplo mas cheio de dificuldades e foi preciso uma reorganização do espaço. Aqui foi importante criar zonas que conseguissem albergar toda a família, tanto na zona de estar como na zona de refeições, e acima de tudo, criar uma sala prática com o essencial.

A divisão tinha um elemento estranho, um palco de madeira que limita o espaço, criava obstáculos e estava em mau estado. No projeto inicial para ser removido na totalidade mas durante a obra descobriu-se um maciço de betão por baixo da madeira, o que impediu a demolição com tão pouco tempo de obra, por isso retirou se só uma parte de forma a ganhar espaço para o mobiliário.

Retirar um pouco deste ar de casa de campo e torná-la um pouco mais contemporânea foi uma das grandes premissas de Ana Antunes para este projeto. No entanto os pais são têm um estilo mais clássico, por isso houve uma simbiose dos dois estilos.

Nichos junto à lareira são foram reduzidos e a lareira passou a ser ladeada de pedra; nos nichos que ficaram descobertos foram pintados de cinza e os fundos revestidos a espelho. Tudo isto tornou esta parede de destaque mais moderna mas com apontamentos clássicos, como a iluminação.

Uma parte do teto era de madeira escura e para abrir o espaço visualmente, foi pintado de branco. Na zona de jantar foi aplicado um tom azul pastel e um cinza muito claro na zona de estar. O azul e o cinzento são dois tons que se enquadram tão bem no clássico como no contemporâneo, foram cores que encaixaram nesta divisão na perfeição.

“Sala Nórdica”

Por Teresa Pietra Torres

Carla Batista candidata-se, para surpreender o filho, com a sala, espaço onde passam muito tempo juntos e precisava de uma grande renovação.

Teresa Pietra Torres, a nossa decoradora, foi desfiada a transformar esta pequena sala e trazer-lhe uma nova vida, para isso decidiu mudar ligeiramente o layout e estender o espaço para a varanda, como prolongamento da sala é um pequeno detalhe que, visualmente, faz toda a diferença.

Apesar de não ser uma obra complicada, era importante trazer para a divisão peças leves, funcionais claras e discretas, tal como as cores e a decoração. A sala tem inspiração na decoração nórdica, então as madeiras aqui tinham claro, que estar presentes.

Neste espaço tão pequeno, o branco faz todo o sentido ser a cor primordial, no entanto a parede de maiores dimensões tem um tom azul pastel e alberga uma estante que ocupa a parede toda. Noutra parede, junto à zona de refeições, com um stensil e uma esponja criou-se um padrão, quase como se fosse um papel de parede, para dar vida e diversão ao espaço.

A varanda apesar de também de pequenas dimensões foi dividida em duas zonas, a zona lounge do lado da sala e a zona de churrasco do lado da cozinha. Para se perceber a divisão colocou-se deck na zona do churrasco e relva na zona lounge. Na parede a meio da varanda colocou-se um jardim vertical e o parapeito foi disfarçado com vime.

“Um novo sentido de CASA”

Por Luís Pedro de Abreu

Márcio Silva, o candidato deste episódio, nasceu no Açores e desde que assentou arraiais no continente que tem lutado para conquistar a sua independência. A sua última conquista foi a casa onde vive atualmente que infelizmente carecia de conforto e comodidade. Foi a fim de renovar o apartamento e de forma a ter condições de receber a mãe, que Márcio sentiu a necessidade de se candidatar ao ‘Querido, mudei a casa!’.

Era uma sala vazia, com uma ausência total de mobiliário e de decoração, não havia mesa de jantar e o sofá era apenas um colchão no chão; sentia-se um vazio que tinha que ser urgentemente preenchido, sendo que o objetivo principal era trazer o maior conforto possível.

Uma das coisas fundamentais que o candidato tinha na sala era uma secretária de trabalho, tal como o Márcio muitos de nós tivemos que nos adaptar a esta realidade. Na casa havia uma divisão livre, uma divisão de arrumos, e quando Luís Pedro se apercebe disso desenvolveu o projeto no sentido remodelar os dois espaços e criar zonas distintas: a sala (zona de lazer) e o escritório/quarto de hospedes – tirar a zona de trabalho da zona de lazer.

Todas as paredes da sala foram preenchidas por bites para criar almofadas em virtude de cortar sua monotonia natural, estas foram criadas à imagem de paredes de uma casa apalaçada. A ideia era realmente criar o contraste do antes, a ideia de vazio, para uma divisão apalaçada, numa decoração jovem com uma fusão híbrida entre a casa jovem e a casa no sentido de “CASA”, clássica.

Este lambrim criado foi pintado de tom café com leite que contrasta com o papel de parede com um ar mais tosco de tom suave com uma textura bastante orgânica. Grande parte da iluminação escolhida foi preta e metálica para dar um masculino e industrial, tanto na sala como no quarto.

Desta vez, Luís Pedro optou por um quarto todo o branco, com ligeiros apontamentos de cor, fazia sentido ter uma decoração tranquila por ser um espaço para trabalho. O nicho que havia no quarto foi transformado num roupeiro muito original, onde o varão de madeira está suspenso em cordas.

“Urban Jungle”

Por Ana Antunes

A candidata deste programa, Fernanda Brito, mudou-se há poucos anos para Portugal. Fernanda, o marido e a filha moravam no Brasil e por questões de segurança decidiram mudar de país. Compraram a casa à distância pela Internet e, sem nunca a terem visto, arriscaram tudo, como tantas famílias brasileiras. Os moveis que tinham na casa eram os que a antiga proprietária tinha deixado.

A divisão com que se candidataram foi a sala, não se sentiam lá bem, principalmente pelo chão forrado a carpete que era de difícil limpeza com as cadelas que têm, e por ser um espaço frio e sem isolamento quase nenhum. Mas, assim que Ana Antunes vê pela primeira vez o espaço percebeu que não o podia projetar sem incluir o pátio, a sala vive para o exterior e esta família vem de um país em que estão habituados a conviver em espaços abertos. Não fazia sentido não prosseguir com a remodelação para o exterior, até porque com o bom tempo podem usufruir mais do jardim do que da sala.

Por se sentir uma continuidade nestes dois espaços foram aplicados o preto, o branco e o verde, num estilo contemporâneo tropical. O preto e o branco são contemporâneos e ao mesmo tempo fazem o verde, que é o tropical, destacar-se e todos os pormenores têm um bocadinho de sabor a Brasil.

O truque na sala era torná-la visualmente maior e isso foi feito através do novo layout, dos espelhos e do mobiliário visualmente mais leve. Em vez do usual papel de parede, a nossa decoradora, aplicou um painel cerâmico tríptico da Margres, que até no toque parece papel de parede. Este painel faz uma ligação bastante direta ao exterior.

O branco e o preto têm continuidade no exterior e fazem sobressair o mais importante e o que confere mais exuberância ao espaço, as plantas. Dois tipos de plantas foram escolhidas pela INGREEN: um tipo de linhas mais retas que conjuga com as tropicais. Assim foi criada uma perfeita sintonia e um bom impacto tendo em conta que o jardim tinha apenas canteiros.

Dois do momentos fundamentais do jardim são os dois painéis de azulejo simétricos, um enquadra o barbecue e o outro o chuveiro.